• Aline Andrade

Quando o assunto é comprar um cosmético novo para a pele a grande dúvida é qual produto comprar. Para ter sucesso na sua escolha, antes da compra é muito importante que você saiba qual é o seu tipo de pele.

Para te ajudar, reuni neste post detalhes importantes sobre cada tipo e também quais outros fatores que devemos observar antes da compra de cosméticos de tratamento.






Para analisar a sua pele, é importante que não esteja utilizando nenhum produto. O ideal é ficar 12 horas sem aplicar nada no rosto e assim conseguirá visualizar os detalhes da pele com mais clareza.


Separei para você os tipos de pele e listei também as condições que ela pode estar apresentando, então combine as duas informações (tipo + condição) para que isso te ajude a comprar o cosmético de tratamento que terá mais benefício no seu skincare.



Tipos de pele:

Pele normal: normal é o termo que usamos para definir uma pele que apresenta os níveis de hidratação e oleosidade balanceados, ou seja, uma pele que está com seu mecanismo de funcionamento alinhado, não apresenta “poros” dilatados e possui viço natural. Isso não quer dizer que a pele normal não precisa de rotina de cuidados diários. É importante ter um skincare para manter a limpeza e hidratação em dia, evitando o surgimento de sinais de envelhecimento no decorrer dos anos.

Pele seca: quando a pele é seca significa que ela tem dificuldade de reter água na superfície, normalmente está associado à pouca produção de lipídeos essenciais que são necessários para manter as células ligadas umas às outras. Com esta falta, as células descamam com mais facilidade tratando aquele aspecto de repuxamento e ressecamento. Neste caso os produtos da rotina skincare necessitam de ativos hidratantes e também que formem um filme protetor sobre a pele impedindo que a água se perca para o meio externo.

Pele oleosa: um dos tipos de pele mais comuns encontrados aqui no Brasil a pele oleosa, apresenta aspecto muito brilhoso e incomoda o excesso de óleo na superfície ao longo do dia, também apresenta os poros mais dilatados. A produção em excesso vem da glândula sebácea e o uso do hidratante correto pode normalizar o funcionamento da glândula trazendo a diminuição deste aspecto oleoso.

Pele mista: outro tipo comum em nossa região, a pele mista tem característica dos dois tipos de pele descritos acima, podendo ser normal nas laterais do rosto e oleosa na zona T.



Condições da pele:

Acne: Decorrente da proliferação da bactéria da acne, a pele com espinhas normalmente está combinada com o tipo oleosa e quando está nesta condição, é importante o uso de produtos que equilibrem a proliferação de bactérias e também diminua a produção de sebo na superfície. Além disso, em alguns casos pode ser indicado o uso de esfoliante para diminuir a espessura da pele e ajudar no controle de novas inflamações de acne.

Sinais de envelhecimento: na maior parte das vezes quando nos damos conta dos sinais do envelhecimento já contamos com algumas ruguinhas e linhas de expressão, além disso também podemos notar uma maior flacidez da pele e manchinhas amendoadas em alguns pontos do rosto. Neste caso o uso de antioxidantes como a vitamina C e também filtro solar são imprescindíveis na rotina.

Desidratada: pode estar presente em todos os tipos de pele, normalmente se apresenta áspera, com prurido (coceira) e descamação, a pele desidratada assim como a seca não retém água na superfície e a falta de água faz com que a pele tenha aparência mais envelhecida.

Manchada: a pele apresenta manchas em um determinado local ou por toda a face, normalmente se dá pelo excesso de exposição solar ou por alteração hormonal, além disso outros fatores também podem desencadear manchas: exposição ao calor extremo, inflamações de acne ou qualquer outra lesão que pode gerar uma mancha pós inflamatória. Neste caso é importante associar na sua rotina produtos com ativos clareadores que ajudem a pele a produzir menos melanina na região.

Sensível: se apresenta avermelhada, inflamada, coceira e descamação. Temos quadros importantes que podem sensibilizar a pele como rosácea e psoríase, que exigem cuidados maiores. Neste tipo de pele é indicado hidratantes com ativos anti-inflamatório que acalmam e normalizam o funcionamento da pele.

Agora que você já sabe qual é teu tipo de pele fica mais fácil na hora de comprar os produtos que irão fazer parte da sua rotina. Aqui na Manipularis temos produtos específicos que tratam de cada tipo de pele e suas condições.

Lembre-se sempre, uma rotina é composta de limpeza, hidratação, tratamento para a condição da pele e proteção! Faça o básico e tenha a pele saudável todos os dias.



64 visualizações0 comentário
  • Aline Andrade

Atualizado: Jul 31


Muitas vezes escondemos nossos sentimentos para que ninguém os veja, mas você sabia que a pele sente e transforma as emoções em algo positivo ou negativo? Conheça mais sobre a conexão entre as emoções e a pele nesta leitura.


A influência das emoções sobre a pele é observada desde o século 4 a.C., pelo Grego Hipócrates, mas nos anos 70 é que o assunto ganhou palco onde uma universidade americana começou a desvendar o caminho da comunicação entre a mente e o corpo.

Sentimentos, emoções e pensamentos são todos processados pelo nosso cérebro que envia ao resto do organismo mensagens químicas. Estas mensagens percorrem todas as nossas células que possuem receptores capazes de reagir sobre este estímulo. Influenciados por estas mensagens, os genes podem ser ativados ou desativados, causando um desequilíbrio no funcionamento do corpo e gerando assim as doenças.

Um dos principais sinais visíveis que conseguimos visualizar quando falamos de emoção e pele é no momento em que sentimos vergonha, automaticamente quando este sentimento vem à tona nossas bochechas ficam vermelhas não é verdade? Isso também acontece quando estamos com raiva ou quando tomamos uma bebida alcoólica. A pele tem a capacidade de transparecer muitos sinais emitidos pelo sistema nervoso. Quando estamos passando por problemas psicológicos, nosso organismo pode desencadear doenças de pele decorrentes do acúmulo de emoções ruins.

Hoje, cerca de 40% das pessoas que procuram tratar doenças de pele possuem associado ao quadro problemas psicológicos, essa porcentagem vem crescendo ao longo dos anos com a pandemia, e a insegurança sobre o futuro aumentou ainda mais as queixas relacionadas à pele.

O corpo humano é um emaranhado de ligações químicas que transmitem informações entre todo o sistema que o compõe, ou seja, se algo não vai bem, os sinais serão sempre expostos na pele, isso ocorre porque é através dela que temos a capacidade de identificar que algo está errado.

As doenças mais comuns relacionadas às emoções são dermatite atópica, acne, eczemas, coceiras, psoríase, alopecia aerata, vitiligo e melasma, todas estas mexem com nossa autoestima e aumenta ainda mais nossa preocupação.



O estresse está relacionado com o aumento de manchas na pele, como por exemplo o vitiligo e o melasma. Quando o paciente tem momentos em que o psicológico está mais tranquilo, a doença estaciona e o número de manchas não aumenta, mas basta um novo pico de preocupação para o organismo voltar a mostrar novos sinais na pele. E assim é com a maioria das doenças provenientes das emoções, possuem fase de ataque e fase de dormência.

Temos também o estresse ambiental, causado na pele diante de tantas agressões da qual estamos expostos, a pele também reage aos estímulos externos como poluição, calor, frio e radiação.


Uma das explicações para a estreita ligação entre a pele e o cérebro se dá porque ambos são feitos do mesmo tecido, o ectoderma, nas primeiras semanas de gestação as células do ectoderma se desdobram e formam a pele e o sistema nervoso.

Hoje em dia em novos tratamentos, a conduta é tratar os problemas visíveis na pele, mas também auxiliar o paciente quanto as suas dificuldades psicológicas, tratando simultaneamente corpo e mente para conseguir resultados melhores, visto que, não adianta tratar da pele sem ajudar o paciente a lidar com seus problemas internos.

Com o grande impacto negativo na autoestima que as doenças de pele causam, buscamos hoje práticas de bem-estar para viver melhor diante dos desafios pessoais, acompanhamento psicológico, meditação e exercícios físicos ajudam o organismo à se recompor de todo esse peso que carregamos diariamente em nossas vidas corridas.





Com o avanço da tecnologia hoje já contamos com ativos cosméticos que podem dar aquela ajudinha para a pele se manter mais saudável, conseguindo assim, combater os estímulos enviados pelo sistema nervoso à pele.

Confira os quatro ativos que você encontra aqui na Manipularis para combater o estresse da pele:

Syn-Up – capaz de promover a regeneração da pele e criar um escudo protetor contra agressões externas, como vento, poluição, frio e calor.

Fensebiome – indicado principalmente para peles sensíveis, estimulando o aumento da barreira física da pele e promovendo o aumento das bactérias “boas” da pele, auxiliando assim, na melhora da manutenção para uma pele saudável.

GPS Treolase fortalece a resistência celular combatendo vários tipos de estresses ambientais e também ação “termoprotetora”, pois atua diretamente sobre as proteínas do estresse.

Lumiskin auxilia na uniformização do tom de pele em pacientes com pele manchada, indicado para quem sofre também de melasma, tem a capacidade de “acalmar” os melanócitos (células responsável pela produção de pigmento da pele) e inibir a produção de melanina.

Se você está percebendo algum sinal de desconforto na pele, procure ajuda! A pele tem a capacidade de nos alertar quando precisamos voltar nossa atenção ao corpo e mente. Cuidar da pele se faz necessário para que consigamos identificar nela quando algo não vai bem dentro de nós também. Inicie seus cuidados, mesmo que sejam básicos, com uma boa higiene, hidratação e reparação da pele, além da proteção dela se for se expor ao sol.

Procure observar o que seu corpo tenta lhe dizer, só assim conseguirá viver de forma mais saudável e feliz, reajustando sua rota sempre que for necessário.

Cuidar da pele também é saúde, ela é nosso alarme, nossa bússola!